Violência contra as Mulheres é debatida na Câmara Municipal

Na última sexta-feira (25/05), Kátia Rodrigues, diretora de Assuntos da Mulher e Juventude da Nova Central Sindical de Trabalhadores do Estado de São Paulo – NCST-SP; da Confederação dos Servidores Públicos do Brasil – CSPB e da Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo – Fessp-Esp realizou, a convite da Assessora Parlamentar e Conselheira do Conselho Estadual da Condição Feminina – CECF, Sandra Andreoni de Oliveira Ribeiro, no auditório da Câmara Municipal de São Paulo, palestra sobre Violência Sexista com o Tema: “Violência Contra as Mulheres nos Locais de Trabalho”.

A assessora da Câmara agradeceu a presença das 80 mulheres integrantes do Projeto “Conversando com Mulheres” que, por ser um projeto social e pioneiro criado desde julho/2017, consolida sucesso entre as trabalhadoras da Câmara Municipal de São Paulo.

Kátia Rodrigues abordou temas variados, não somente o assédio moral, mas tudo que está relacionado à violência sexista, que nada mais é do que o modo como nos referimos a diversas modalidades de violência (sexual/física/moral/material/psicológica e patrimonial) que as mulheres trabalhadoras estão expostas e sofrem nos seus respectivos locais de trabalho, agravados pelo simples fato por serem mulheres.

As trabalhadoras presentes no evento foram muito participativas, tirando dúvidas e compartilhando experiências pessoais com depoimentos emocionantes de violências sofridas tanto em âmbito familiar, como no próprio ambiente de trabalho, vítimas, também, de assédio moral.

Após três horas interruptas, a assessora da Câmara agradeceu a palestra e, de antemão, convidou a diretora de assuntos da mulher a participar do projeto em uma nova ocasião.

“Me sinto muito honrada por ter sido convidada a compartilhar conhecimento nesta casa de leis, fazendo parte de um projeto social voltado à classe trabalhadora, focando na questão das mulheres e gênero, alertando para circunstâncias que as prejudicam nos seus respectivos ambientes de trabalho. Habilitá-las ao enfrentamento de questões raciais, homofóbicas; bem como ensiná-las a questionar, com argumentos qualificados, a persistente diferença salarial que ainda penaliza as mulheres do nosso país, muito me orgulha. Minha palestra foi construída baseada em uma cartilha realizada pela Internacional dos Serviços Públicos – ISP,  a CSPB e a Fessp-Esp no ano de 2016, que abordou com profundidade crítica, a questão da violência sexista e demais agressões nos locais de trabalho. Uma realidade que, infelizmente, faz parte da rotina de tantas trabalhadoras, mas que, por razões que escapam a racionalidade, ainda permanecem sem legislação específica para mitigar o problema”, declarou Kátia Rodrigues.

Fonte: Federação dos Sindicatos dos Servidores Públicos no Estado de São Paulo – Fessp-Esp, entidade filiada à NCST