Mulheres nas ruas contra a Reforma da Previdência de Bolsonaro

KatiaNa sexta-feira (29/03) Kátia Rodrigues, Diretora de Assuntos da Mulher Juventude e Gênero da FESSP-ESP CSPB e Nova Central – SP, juntamente com Sônia Maria Zerino – Secretária Nacional da CNTI e NCST e Gláucia Morelli Presidente da CMB – Confederação de Mulheres do Brasil coordenaram a passeata: “MULHERES UNIDAS CONTRA A REFORMA DA PREVIDÊNCIA E TODO TIPO DE VIOLÊNCIA”,  fechando o mês de março em comemoração ás mulheres, no Viaduto Santa Efigênia , em frente ao prédio do INSS –  Centro –  São Paulo.

O evento contou com a participação de presidentes de centrais sindicais como Luiz Gonçalves – Luizinho (NCST-SP), Ubiraci Dantas Oliveira – Bira (CGTB), José Gozze (CENTRAL PÚBLICA DO SERVIDOR), presidentes de federações e sindicatos como Lineu Neves Mazzano – FESSP-ESP , SISPESP e coordenador da FSP – Frente Paulista em Defesa da Previdência Social, Dra. Dirce Namie coordenadora do MAS- SP Movimento Acorda Sociedade e  as  mais de 30 entidades representativas presentes  como  AATSP, UNEGRO, CNAB, UMES, COBAP, UBM, entre outras totalizando  150  pessoas entre mulheres e homens.

No ato estiveram presentes a Deputada Adriana Borgo (PROS) e a Deputada Beth Sahão (PT) sendo que ambas discursaram dando total apoio ao movimento das mulheres contra a nefasta “Reforma” da Previdência na qual as mulheres serão as maiores prejudicadas caso ela venha a ser concretizada da forma que está, e que nos próximos atos e eventos estarão presentes unindo forças .

A atual presidente da Comissão da Mulher Advogada da Secional OAB – Dra. Cláudia Patrícia Luna representou as mulheres advogadas com seu discurso pragmático e enfatizou a luta das mulheres neste país, suas conquistas e dificuldades no seu cotidiano , e  trouxe  os cumprimentos e  total apoio da OAB  e do Presidente  Dr. Luiz Ricardo Vasques Davanzo da AATSP.

“Quero parabenizar todas as companheiras mulheres e homens que estão presentes neste ato, principalmente as centrais, federações, sindicatos e entidades que deram apoio neste momento difícil na qual as entidades sindicais se encontram, pois sozinhos não conseguimos chegar a lugar algum, toda a sociedade precisa saber a verdade sobre o desmonte que o Governo Bolsonaro (PSL) quer promover no sistema de aposentadorias dos brasileiros (as)”, disse Kátia. Que convocou as pessoas para também participarem dos próximos movimentos de rua, que ocorrerão até que a proposta de Bolsonaro seja definitivamente derrotada no Congresso Nacional.

 

“Não importa se serão atos pequenos ou grandes, o importante é que nós mulheres não iremos nos calar perante a este desmonte não somente da previdência , mas como   toda a seguridade social na qual todos nós fazemos parte. Precisamos da participação de toda a sociedade para que  juntem-se  a nós, pois juntos somos fortes, e que no final, as mulheres fazem sim a diferença, afirmou.