Lideranças sindicais da NCST participam de Seminário sobre acidentes e doenças do trabalho

Lideranças sindicais da Nova Central Sindical de Trabalhadores – NCST e da estadual NCST/SP participaram, nesta quinta-feira (26), do “Seminário 28 de Abril – Dia Mundial em Memória as Vítimas de Acidentes e Doenças do Trabalho”, realizado na sede do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos – Dieese, na capital paulista. Especialistas discorreram sobre as chamadas “reformas” – trabalhista e previdenciária -, bem como o desmonte orçamentário resultante da aprovação da Emenda Constitucional 95, com foco no impacto dessas mudanças para a saúde do trabalhador(a).

O diretor de Assuntos Trabalhistas da NCST, Luis Antonio Festino, integrante titular do Fórum Nacional das Centrais Sindicais em Saúde do Trabalhador e da Trabalhadora, não pode participar em consequência de exames médicos agendados. Em seu lugar, participaram a secretária nacional da Promoção da Igualdade Racial e Gênero da NCST, Cátia Aparecida Laurindo e a diretora de Assuntos da Mulher e da Juventude da NCST/SP, Kátia Cristina Rodrigues da Silva, em conjunto com as lideranças sindicais Wanderley Sanches, Benedito Barbosa, Oscar Ferreira e Marcelo Conceição Bonfim, todos representando a Nova Central.

Kátia Rodrigues, na ocasião de sua participação, justificou a ausência do diretor Festino e relatou a forte atuação da central sindical nos conselhos estaduais e municipais, bem como a importância destes conselhos para a elaboração e implementação de políticas públicas que visem mitigar ou solucionar problemas comuns à área de Saúde. Kátia, que também é dirigente da CSPB, relatou que o tema, com foco na saúde mental, já está inserido nas discussões do Congresso Nacional dos Trabalhadores, programado para os dias 10 e 11 de agosto no município de Praia Grande, litoral paulista. “Este evento, organizado pelo Fórum Sindical dos Trabalhadores – FST vai apresentar dados estarrecedores sobre o impacto dessas criminosas reformas com estatísticas que revelam aumento exponencial dos índices de suicídio, sobretudo no setor público. A imprensa hegemônica mascara este problema que identificamos como epidêmico e que, para saná-lo, precisamos encarar sua real dimensão. A Nova Central, a Fessp-Esp e a CSPB estão engajadas nesse trabalho de conscientização junto à base sindical”, assegurou a líder sindical.

Na avaliação dos integrantes da Nova Central, as palestras, além de oportunas frente à conjuntura social, política e econômica do país; favorecem o amadurecimento técnico sobre os temas relacionados. “É nessas ocasiões que ampliamos nosso conhecimento. As informações assimiladas serão, inevitavelmente, discutidas nos fóruns e conselhos deliberativos, ambientes onde emergem soluções práticas que podem resultar em políticas públicas com relevantes impactos sociais”, avaliou da dirigente da Nova Central nacional, Cátia Aparecida Laurindo.

Norma Constitucional

A Constituição Federal, promulgada em 1988, determina o respeito às condições salubres de trabalho. Já em seu artigo 7º, estabelece que é “direito dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social, a redução de inerentes ao trabalho, por meio de normas de saúde, higiene e segurança”.