Chega de Mc Escravos

IMG_7515

Hoje (18/08) pela manhã, cerca de 1200 manifestantes, entre trabalhadores e sindicalistas, inclusive, uma comitiva com mais de 80 representantes de entidades sindicais e parlamentares de 20 países (Espanha, Itália, Alemanha, Bélgica, Reino Unido, Dinamarca, Nova Zelândia, Coreia do Sul, Japão, Filipinas, El Salvador, Colômbia, Argentina, Panamá, República Dominicana, Chile, Argentina, Estados Unidos e França.), participaram de um grande Ato na Avenida Paulista, promovido pelo Sinthoresp, como parte da Campanha Global pelos direitos dos trabalhadores do McDonald´s.

A campanha brasileira teve início em fevereiro com uma Ação Civil Pública que acusou o McDonald’s de ‘Dumping Social’, ao reduzir seus custos desrespeitando a legislação brasileira, com o não pagamento de encargos e obrigações trabalhistas, obtendo vantagem competitiva no mercado em que atua, prejudicando as empresas que respeitam a lei.

Além disso, há várias outras irregularidades. A empresa impõe aos empregados uma jornada móvel e variável, em que são obrigados a ficar a disposição o dia todo sem hora certa para trabalhar e, o pior, só ganham pelas horas trabalhadas, chegando a receber a miséria de R$ 160,00 por mês.

A exploração não para por aí, a empresa não paga horas extras, pratica acúmulo de função, tem um alto índice de acidentes, principalmente, queimaduras e ainda, por cima, há inúmeras denúncias no Sindicato a respeito de fraudes nos holerites.

Pela primeira vez, várias entidades sindicais de orientação política diferente decidiram se unir para enfrentar a corporação McDonald’s. De lá pra cá, vários eventos foram realizados mostrando que as entidades brasileiras continuarão somando esforços à campanha mundial.

Estiveram presentes representantes das centrais sindicais (Nova Central, UGT e CUT) e de diversas entidades ligadas à categoria e muitas outras que vieram apenas em apoio à luta contra a exploração e escravidão a qual os trabalhadores dessa rede de fast food são submetidos pelo mundo afora.

AS AÇÕES CONTINUAM:

Quarta-feira, 19 – Em Brasília, um dia antes da audiência pública, durante o 1º Congresso Internacional dos trabalhadores do setor em redes de fast-food, se discutirá, a portas fechadas, como potencializar a campanha mundial em torno de uma série de direitos. Será o momento de os trabalhadores trocarem experiências e planejar o futuro da campanha global

Quinta-feira, 20 – Dia da audiência pública no Senado, que começa às 9 horas no Plenário 2 da ala Nilo Coelho e que contará com uma sala extra, o Plenário 9, da ala Alexandre Costa. As entidades sindicais brasileiras Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST), a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Turismo e Hospitalidade (Contratuh), o Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de São Paulo e Região (Sinthoresp), a União Geral dos Trabalhadores (UGT), a Confederação Nacional dos Trabalhadores no Comércio e Serviços (Contracs/CUT) apresentarão um relato dos problemas que os trabalhadores brasileiros enfrentam.

Os participantes internacionais trarão as suas experiências locais. Também estarão presentes integrantes da Procuradoria do Trabalho. Frente à insistência da empresa de manter as más práticas, Pernambuco e Paraná entraram com ações civis públicas contra a corporação. Representantes do McDonald’s também foram convidados.

Galeria de Fotos

Por Ana Paula Sarilio com informações do Sinthoresp – Fotos: Eric Paixão